História

Em 05 de janeiro de 1962 houve a assembleia de criação da Associação Profissional dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Cornélio Procópio, reconhecida legalmente de 19 de marco de 1962 com o primeiro presidente o Sr. Osvaldo Trevisan, em agosto de 1973 foi solicitada ao Ministério do Trabalho a transformação da associação para Sindicato na gestão de Antônio Silveira Brasil Filho, sendo reconhecido pelo Ministério do Trabalho em 19 de maio de 1975. Este ano completou 41 anos de existência na luta e defesa dos trabalhadores se filiando a CUT em 1992, nascendo aí um novo Sindicato sob os princípios da Central Única dos Trabalhadores, a maior central sindical do Brasil, 5ª maior da CSI e uma das maiores centrais sindicais do mundo, com 3.970 entidades filiadas e aproximadamente 26 milhões de trabalhadores e trabalhadoras na base.

Este Sindicato participou da transformação do DNB para CNB em 1992 que desde 2006 é CONTRAF Confederação Nacional dos trabalhadores do ramo financeiro. Também ajudou na construção do DEB em 1990 e trabalhou e liderou na fundação da FETEC Federação dos trabalhadores em empresas de crédito do Paraná em 18 de janeiro de 1992.

Dentro de uma concepção de sindicato cidadão, participou e participa de vários conselhos de promoção da cidadania, tendo também como vice-prefeito da cidade de Santa Mariana município da nossa base territorial o diretor José Marcelo Piovan Guimarães, além de estar nas ruas nas lutas por um país mais justo e solidário.

Transparência é uma das marcas da entidade que sobrevive da mensalidade proveniente de seus filiados, cujo índice é de 86% da categoria. Desde 1996 o Sindicato devolve o imposto sindical aos seus filiados.

Tem como canal de comunicação o jornal Vida Bancária, página de Facebook, site e as visitas constantes de seus diretores na base.

Esta é uma breve história do Sindicato dos Bancários de Cornélio Procópio.