aqui).

“Lutamos para que os bancários, como categoria essencial e cujas características da atividade têm um potencial alto de transmissibilidade do vírus, sejam incluídos na fila de prioridades. A imunização contra a covid-19 é um direito do povo brasileiro e deveria ser uma obrigação do governo federal coordenar uma estratégia nacional de vacinação e prover as vacinas, com rapidez, a ser aplicadas em toda população brasileira. Mas os flagrantes despreparos e omissão do governo federal seguem impedido o devido processo de vacinação em massa”, disse o secretário de Saúde do Trabalhador da Contraf-CUT, Mauro Salles.

Outras ações

Além do abaixo-assinado virtual, as entidades sindicais da categoria também pressionam os governos para que viabilizem a vacinação o mais rápido possível. O Sindicato dos Bancários de Pernambuco, por exemplo, enviou à Secretaria Estadual de Saúde ofício que solicita a inclusão da categoria bancária no Plano de Operacionalização para Vacinação contra a Covid-19.

O Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, juntamente com a Fetec/SP e a Feeb SP/MS, enviou ofício ao governo paulista reivindicando a inclusão dos bancários em grupo prioritário do PEI (Plano Estadual de Imunização). A mesma reivindicação também já foi apresentada, por meio de ofícios, ao governo federal e Prefeitura de São Paulo.

O mesmo ocorreu no Distrito Federal, onde o Sindicato dos Bancários de Brasília cobrou ação do governador do DF para a compra direta do imunizante. O Sindicato dos Bancários de Belo Horizonte também cobrou do governo estadual que a categoria seja incluída como prioritária no Plano Estadual de Vacinação de Minas Gerais.

Em Londrina, o Sindicato conseguiu no dia 23 de fevereiro, a aprovação, na Comissão de Seguridade Social da Câmara de Vereadores, da Indicação 251/2021 para que o Executivo Municipal inclua a categoria bancária no grupo prioritário do Plano Municipal de Imunização contra a Covid-19.

Fonte: Contraf-CUT

DEIXE O SEU COMENTÁRIO