os ACTs (Acordos Coletivos de Trabalho) do Banco de Horas Negativas do período da pandemia de Covid-19 e os Aditivos do PPRS (Programa de Participação nos Resultados Santander).

Com vigência de 1º de abril de 2020 a 31 de dezembro de 2021, o ACT estabelece o regime especial para compensação de horas negativas no período de 12 meses, a partir de janeiro de 2021, foi aprovado por 89% dos votantes. Esse número não computa a base do Sindicatos dos Bancários de São Paulo e outros Sindicatos que não usaram a plataforma da Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro).

“O Acordo traz tranquilidade para os bancários que tiveram que usar o Banco de Horas Negativas possam fazer a compensação durante todo o ano de 2021 e permite que 10% das horas negativas não precisem ser compensadas”, explicou o secretário de Assuntos Socioeconômicos e representante da Contraf-CUT na mesa de negociações com o banco, Mario Raia.

Já o acordo que permite que o Santander antecipe para 30 de setembro o pagamento da regra integral da PLR foi aprovado por 97% dos votantes. Esse número não computa a base do Sindicatos dos Bancários de São Paulo e outros sindicatos que não usaram a plataforma da Contraf-CUT.

No dia 30, os bancários e bancárias receberão a parcela referente à Regra Básica da PLR: 90% do salário, mais parcela adicional de R$ 2.457,29, mais parcela fixa de 2.457,29 (correspondente ao lucro do primeiro semestre de 2020), com o teto de R$ 13.182,18.

Já o pagamento do PPRS, mais a diferença nas parcelas adicionais e fixas correspondente ao lucro do segundo semestre, será feito até 3 de março de 2021.

Fonte: Contraf-CUT

DEIXE O SEU COMENTÁRIO